Carga horária produtiva para se estudar!


Alguma literatura indica que o cérebro descarta tudo que não fizer sentido, com base na cultura e no uso daquilo que se vê, ouve ou lê.

O que vemos esquecemos, o que ouvimos esquecemos, o que fazemos aprendemos.

Essa afirmação de que o fazer leva a uma aprendizagem e à perfeição pode ser comprovada pelos nadadores, pelo violonistas, pianistas, bailarinos e outros. Essas pessoas estão sempre exercendo a prática de suas atividades e alcançam a excelência.

A sugestão é: A lição estudada e recebida deve ser repedito no espaço de 7 a 12 horas, por até 3 vezes, e então inicia-se a próxima lição ou próximo capítulo.

Essa revisão, se possível lida e/ou ouvida, fixa a compreensão da matéria ou assunto estudado, logo conclímos que a aprendizagem e domínio daquilo que desejamos aprender se torna um processo suave e prazeiroso, sem angústia, estresses e prejuizos como esquecimento.

Podemos afirmar que é impossível aprender a nadara e ser um exímio nadador longe de uma piscina.

Ser um bom motorista é possível, desde que se tenha como dirigir e por que, como, onde, por onde e para onde?

Resum: A prática traz a teoria à vida real. O que aprendemos como teoria, aprendemos na prática.